Cardeal manifestou ‘profunda preocupação’ com avanço de jihadistas. Bispos locais alertaram para risco de sumiço de cristãos de Mossul.

O prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, o cardeal Leonardo Sandri, manifestou nesta sexta-feira (13) a sua “profunda preocupação” com o avanço dos jihadistas no Iraque e anunciou que as estruturas da Igreja Católica no país estão abertas a todos os deslocados.

Em um comunicado, o cardeal argentino expressa o apoio do Papa Francisco ao povo iraquiano e sua “proximidade” com o patriarca caldeu Louis Sako e aos bispos caldeu e sirocatólico de Mossul (norte).

Mossul, a segunda maior cidade do país, foi tomada esta semana pelos jihadistas do Estado Islâmico no Iraque e no Levante (EIIL). A este respeito, o cardeal Sandri assegurou que “neste momento trágico”, estes dois bispos estão “com a população, cristã e muçulmana, forçada a abandonar as suas casas e a cidade para sobreviver”.

O cardeal lamentou, “na terra de Abraão”, este “novo êxodo de centenas de milhares de homens, mulheres e crianças, que veem destruída a promessa de estabilidade e vida”.

Em uma conversa por telefone, o arcebispo caldeu de Mossul, Amel Shamon Nona, disse ao cardeal Sandri que “as igrejas, escolas e outras estruturas católicas estão abertas para os refugiados, no espírito de colaboração entre os seguidores de diferentes religiões”.

Os bispos locais têm alertado para o risco de desaparecimento dos cristãos de Mossul, presentes nesta área desde os primeiros tempos da religião.

O deslocamento dos cristãos ocorre em condições dramáticas, dada a guerra na vizinha Síria e pela presença maciça de refugiados sírios no Líbano e na Jordânia.

Fonte: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/06/vaticano-abre-suas-igrejas-no-iraque-a-todos-os-refugiados.html

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*