Diante das tensões que antecedem o sínodo da Família, a Polônia, terra de São João Paulo II, estaria acenando para um cisma pela resistência dentro da Igreja Católica Romana, escreve um intelectual de liderança no ala conservadora da Igreja .

Segundo informações da Radio Poland, a crença de que o Papa Francisco é abertamente contrário ao ensinamento do “papa polonês” tem gerado uma tensão entre os que defende as mudanças, como a comunhão aos divorciados e os que defendem a Tradição católica e o legado de resistência de São João Paulo II. Dominik Zdort, intelectual polônês, acredita que a Polônia está disposta, se preciso for, a separar-se da comunhão da Igreja e resistir ao progressismo, como escreveu no diário Rzeczpospolita na sexta-feira.

As idéias do cardel Kasper tem sido encaradas como um rompimento com o catolicismo e, por definição, uma criação de uma seita que se intitularia católica, embora não seja.

O escritor tradicionalista vê potencial para um cisma, pois “nunca antes um grupo tão grande (e crescente) de hierarcas, como tem sido, se opõem abertamente contra as idéias atribuídas a um Papa. Coomo as figuras da oposição: Cardinal Raymond Leo Burke and the archbishop of Warsaw, Henryk Hoser.

Infelizmente os ventos sopram para uma divisão na Igreja, caso continuem discutindo a respeito da comunhão aos divorciados. Os progressistas já ameaçam desobedecer o Papa, caso ele insista em manter a Igreja como está. Nesse sentido, o cardeal alemão Marx foi enfático: «Não somos só uma filial de Roma».

Com medo que o corpo de Cristo seja dividido, católicos do mundo todo tem assinado uma petição on-line que diz:
“Santo Padre, nós Vo-la imploramos com o coração devotado por tudo o que sois e representais, certos de que ela não poderá jamais dissociar a prática pastoral do ensino legado por Jesus Cristo e por seus vigários, o que só aumentaria a confusão”

A petição pode ser assinada clicando AQUI

 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*