O Papa recebeu em audiência no final da manhã deste sábado, (16/5), na Sala Paulo VI, no Vaticano numerosos religiosos e religiosas da Diocese de Roma, no âmbito do Ano dedicado à Vida Consagrada. Francisco exaltou a presença feminina na Igreja ao afirmar que “a mulher consagrada é o rosto de Maria e da Mãe Igreja”. A reportagem é de Manuel Tavares.

O Encontro com o Papa foi dividido em duas partes: na primeira, os presentes fizeram uma verdadeira festa, com orações e cantos, que refletem a realidade vivaz da vida consagrada na Cidade Eterna, como também momentos de reflexão sobre a “missão dos consagrados na Igreja”, mediante exibições de grupos, provenientes de diversas partes do mundo.

Encontro com o Papa

A segunda parte foi caracterizada pela presença do Bispo de Roma. Após a saudação do Cardeal Agostino Vallini, Vigário do Papa para a Diocese de Roma, o Santo Padre ouviu depoimentos de alguns participantes, que apresentaram suas experiências pessoais e lhe fizeram perguntas sobre seu estado de vida consagrada.

Testemunho

Uma monja agostiniana, Irmã Fulvia, que representava um dos 28 Mosteiros de clausura da Capital italiana, disse ao Papa que “os mosteiros vivem um delicado equilíbrio entre “escondimento e visibilidade”, clausura e vida diocesana, silêncio, oração e palavra anunciada. E perguntou: “Como um mosteiro pode ser enriquecido por outras formas de vida consagrada, mantendo sua identidade própria?

O Papa lhe respondeu colocando em realce a vida de silêncio e de oração em relação à vida apostólica: uma pessoa consagrada deve fazer tudo com o sorriso nos lábios, acolhendo o irmão que bate à porta das nossas comunidades. “Quem acolhe um deste meus irmãos mais pequeninos, a mim acolhe”! A vida consagrada é uma doação pessoal a Deus e aos irmãos. Cristo é o nosso Esposo e o servimos mediante o nosso carisma religioso”.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*