As vésperas da reabertura do sínodo da família, um padre polonês Krysztof Olaf Charamsa, 43, nascido em Gdynia, revelou ser gay a dois jornais e admitiu ter um caso há anos com um companheiro.

Por motivos obvies o padre fez isso: Primeiramente desejando escandalizar os fiéis católicos, o padre revelou ter um companheiro há anos e, medindo com sua régua, disse que a homossexualidade é extremamente comum entre os padres. Depois, para um efeito midiático imediato no sínodo.
“Sei que a Igreja me verá como alguém que não soube cumprir com o dever -castidade-, que se extraviou e, se não fosse pouco, não com uma mulher, e sim com um homem”, disse o padre a imprensa.
É importante notar que embora seu discurso seja declaradamente de rebelião, o padre agarradinho com seu amante, não tirou suas vestes sacerdotais enquanto dava a entrevista a dois jornais.

A entrevista do sacerdote é permeada de termos esquerdistas como opressão as minorias e a suposta falta de caridade da Igreja, o que mostra com clareza aonde ele está e a quem ele serve.

“…. Não quero destruir a Igreja, quero ajudá-la e, principalmente, quero ajudar os perseguidos. Minha saída do armário tem de ser um chamado para o sínodo, para que a Igreja pare com suas paranoias em relação às minorias sexuais”, disse.

“Gostaria de dizer ao sínodo que o amor homossexual é um amor familiar. Todos, incluindo os gays, as lésbicas, os transexuais, têm no coração o desejo de amor de família”.
Em última analise, a entrevista de Charamsa demonstra na prática a infiltração comunista nos seminários católicos, como Michael Rose expõe com clareza no livro “Adeus, Homens de Deus – Como Corromperam a Igreja Católica nos EUA”, da Editora Ecclesiae. De fato, muitos vocacionados foram barrados nos seminários nas últimas três décadas.

Crer que o caso de Charamsa seja de apenas uma má inclinação pessoal seria muito baixo. Talvez o sacerdote com suas más inclinações não sabe a quem serve, mas serve a esses de todo o coração.

ATUALIZAÇÃO (22:48): Como dito anteriormente, o senhor Charamsa faz questão de se vestir como sacerdote durante as entrevistas. No entanto, ele não fazia isso antes:

s200_krzysztof.charamsa
Evidentemente os padres sem batina não são necessariamente gays. O que chama a atenção é que o padre que se vestia de civil passou a se vestir como padre nas entrevistas. É claro que ele se veste como padre não por um amor a suas vestes sacerdotais, mas para escandalizar.

Uma resposta

  1. PEDRO JOSE DE MENEZES

    PADRE POLONÊS REVELA SER GAY ANTES DO SÍNODO…
    Esta notícia caiu sobre toda a Igreja às portas de um Sínodo tão importante e necessário como uma bomba que provocou e provocará muitos artigos, comentários na mídia, contra a tão sofrida, Igreja Católica Apostólica Romana . Peçamos a Deus que mande sobre nós, sua igreja, a proteção dos santos anjos.

    Responder

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*