“O que será dessa geração que não tem direito de matar seus filhos com segurança?” É a questão que moveu as estrelas globais a pedir a liberação do aborto em uma campanha.

Leandra Leal e Alessandra Negrini adeririam à campanha ‘Precisamos falar sobre aborto’, criada pela revista “TPM”. Em declaração para a edição de novembro da referida revista, as atrizes falaram sobre o tema.

“Sou a favor do direito da mulher sobre seu corpo em todos os aspectos. Temos que ter o direito de decidir”, opinou Leandra Leal.

. “Não se trata de sermos pessoalmente contra ou a favor do aborto, a questão diz respeito ao que queremos ser enquanto sociedade”, disse Alessandra Negrini

As atrizes da TV Globo pedem o direito de poder matar com segurança. Não é lindo?

Alem das nobres atrizes, a filosofa de boteco apresentadora Marília Gabriela se posicionou: “Estamos diante de um fato: no Brasil as mulheres morrem por abortos malfeitos há décadas. Nós, como sociedade, pretendemos continuar cúmplices dessa mortandade?”.
Além delas, Gregório Duvivier, integrante da “Porta dos fundos”,  declarou-se favorável a liberação do assassinato de inocentes:
“Um dia, espero, ainda vamos achar a proibição do aborto um absurdo, assim como achamos um absurdo a escravidão ou o holocausto”, comentou.

Pois é, caro leitor do Fides Press. Como podemos viver numa sociedade que não dá o direito de uma mãe matar seu filho? Que coisa absurda!

Quer saber? Se não nos concedem tão elevado direito de matar os que nos “atrapalham”, façamos do mesmo jeito.  E, vamos matar: a começar pelos nossos credores, os políticos, os nossos patrões, aos colonistas, as atrizes e etc. Todo mundo matando, e feliz. Contudo, exigimos o direito do papai Estado de matarmos em segurança. Haja santa paciência! Isso é uma palhaçada. Admitir esse coitadismo é equivalente a chorar com a dramática situação dos agressores que machucam aos “mãozinhas” enquanto espancavam alguém, que dó.

Esses artistas são incitadores do crime e devem ser tratados como criminosos!.

Leandra Leal, Gregorio Duvivier, Alessandra Negrini, Marilia Gabriela ou qualquer outro que inventar de defender essa prática deve ser tratado com desprezo e horror por toda a população. São pessoas doentes e não merecem sequer um segundo de atenção. Não discutimos o direito penal com criminosos, mas denunciamos seus delitos.

Querem dialogo? Provem que os fetos não tem vida! Antes disso, queremos distância de criminosos.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*